Perdida

Imagem relacionada  Ah, a literatura nacional! Não tenho muita experiência na área, pois ainda estou começando a explorar as obras dessa categoria, mas já amei alguns livros e hoje vim falar pra vocês sobre "Perdida", de Carina Rissi! 
  Sofia é uma brasileira de sangue quente, que passa a maior parte do tempo trabalhando sob o domínio do seu chefe detestável, Carlos. Seus melhores amigos, Nina e Rafael, estão prestes a se casar e ela não poderia estar mais longe dessa realidade. Perdeu seus pais muito cedo em um acidente, então vive sozinha no seu apartamento, comendo refeições prontas de microondas, sem dar chance nenhuma para o amor. Seu único passatempo são os livros de romance de época, principalmente os de Jane Austen, autora que a mesma venera. Ela também ama música, não consegue passar muito tempo sem ouvir algo. 
  Em uma noite, depois de acidentalmente perder seu celular por estar levemente (gravemente) alterada, Sofia precisa comprar um novo urgente. Quem vive sem celular e suas facilidades hoje em dia? Ninguém, né? Porém, ao entrar na loja e comprar o aparelho de uma vendedora de aparência estranha e misteriosa, ao liga-lo ela vai parar no século XIX! Munida com seus all stars vermelhos, um celular que funciona por conta própria e sem nenhum aparato tecnológico para ajudar, ela precisa encontrar algo que a ajude a voltar para o presente. Vestidos bufantes, regras de etiqueta e sem água encanada, o Brasil da época não agrada em nada nossa protagonista. A não ser por uma única coisa: Ian. 

Contos de fadas podem se tornar realidade, Sofia. Basta que a princesa não lute contra a própria felicidade.
Resultado de imagem para emma watson dress gif
  Por mais que Sofia queira ir embora para o próprio século, será quase impossível não se apaixonar pelo Sr. Clarke, aquele que a resgatou enquanto ainda estava confusa sobre o que tinha acontecido. Inteligente, carinhoso, gentil e muito, mas MUITO bonito! Mesmo sabendo que em breve terá que se despedir do rapaz, será que ela resistirá aos encantos dele? E como se acostumar com os modos da época, sendo uma mulher independente e empoderada como é? 
  Quando comprei o livro, minhas expectativas eram altíssimas e felizmente foram bem correspondidas. O meu único "BUT" é pelo fato das falas dela serem muito marcadas com gírias da nossa época. Acredito que isso foi feito propositalmente para que os personagens do século 19 ficassem confusos, mas acabou ficando repetitivo demais até pra gente que sabe o que as palavras significam. Encontrei também apenas dois errinhos de revisão, que não me atrapalharam em nada na leitura. Me apaixonei perdidamente (sacou a referência?) por essa saga, e mal posso esperar para ler os próximos volumes! 

Tudo e todas as coisas

Resultado de imagem para tudo e todas as coisas  Já li muito mais livros do que você. Não importa quantos você tenha lido. Eu li mais. Pode acreditar. 

Como seria ter alergia ao mundo? Não poder pisar na grama, comer o que der vontade, sentir o sol na pele e nem ao menos respirar ar puro? Parece impossível imaginar viver assim, né? Bem, essa é a realidade de Madeline, que foi diagnosticada com uma doença rara quando ainda era apenas um bebê. Ela vive em uma casa totalmente esterilizada, com sua mãe, que é medica, e sua enfermeira, Carla. Se alguém quiser entrar, precisa passar por um vasto processo de limpeza, para não contaminar nada do lado de dentro. Por isso, Mads prefere passar seu tempo livre com seus livros (que são impecáveis de limpos). 
  Apesar de nunca ter ido "lá fora", ela é famosa na internet por escrever resenhas em seu tumblr, e vive assim, com amigos online, aulas por skype e noites do pijama com a mãe, repletas de jogos de tabuleiros e filmes antigos. Tudo ia bem, no limite do possível. Até ela ouvir o barulho de um carro estacionando na casa ao lado da sua. Até conhecer Ollie. 

 Você já tem coisas demais para temer. O amor não vai matar você.
Resultado de imagem para olly and madeline gif

  Depois que uma amizade virtual se inicia, fica difícil controlar o ímpeto de conhecer pessoalmente o garoto que mora na casa vizinha. E o sentimento só aumenta depois do primeiro contato. O romance vem em ondas, aos poucos, e é uma delícia acompanhar Madeline tentando convencer a si mesma de que não está apaixonada. E ele não poderia deixar de se apaixonar por ela também. Mesmo com todas as dificuldades, o casal não irá desistir do amor que sentem um pelo outro, mesmo que precisem passar a vida toda sem se tocar. Mas, será que os dois jovens conseguirão se conter, mesmo que isso signifique a sobrevivência de um deles? 

Tenho a certeza de que estou mais do que apenas viva. Estou vivendo. 
Resultado de imagem para Madeline Whittier gif

  A edição desse livro me encantou demais, ele é muito interativo e tem tantas ilustrações que fiquei mal acostumada! Por exemplo, se ela manda um bilhete ou um SMS, temos o desenho na página representando o ato. E a narrativa é deliciosa, pois parece mais um bate papo com a Mads.
  Uma das coisas que mais gostei, é que temos umas mini resenhas escritas por ela, e ela também dá novos significados a algumas palavras. Minha favorita é essa: 

o.ce.a.no s.m. pl. -s
1. Aquela parte infinita de nós mesmos que não conhecíamos, mas que sempre desconfiávamos que existia.

   Minha edição da obra contém algumas fotos do filme, porém não curti muito esse detalhe por trazer alguns spoilers da trama. Mas depois de ler, voltei pra vê-las e amei conferir, pois ainda não assisti ao longa. Devo confessar que imaginei como seria o final, mas deixei pra lá por achar meio absurdo, e no fim eu estava certa! Apesar de ser um tiquinho previsível, a história é encantadora e muito gostosa de acompanhar. Espero poder conhecer mais livros da autora! E você, quão longe iria por um amor impossível? Me conte! 

A garota que eu quero

Resultado de imagem para a garota que eu quero  Markus Zusak ataca novamente! Depois de ler "A menina que roubava livros" (Meu livro favorito, que por incrível que pareça ainda não resenhei!) e  "O mensageiro" (Resenha aqui), resolvi conferir "A garota que eu quero"! Vem ver o que eu achei 💕
  Cameron é um garoto que vive a sombra dos irmãos: Steve é o que saiu de casa, joga futebol e é mega respeitado. Rube vive com os pais, é um verdadeiro garanhão e bem bonito. Sarah trabalha, é linda e ama tirar fotos. E Cameron é... o Cameron. Nunca namorou uma garota, só imagina como uma relação se parece pelas várias namoradas que o irmão traz pra casa. Sua rotina se baseia em passear com Miffy, o cachorro do vizinho, e parar na frente da casa de uma garota todas as tardes, sem nem ao menos esperar que ela saia. 
  Isso até conhecer Octavia, uma garota com quem Rube começou a ficar. Além de linda e simpática, trata Cam com muito carinho. Mas, será que todo esse carinho poderia ser amor? Ele jamais faria algo para magoar o seu irmão, mas também nunca se sentiu assim antes! 

De certo modo, era mais fácil apenas imaginar como seria, em vez de enfrentar a realidade da coisa. Eu podia criar situações ideais e maneiras de agir que me fariam conquista-las. A gente pode fazer qualquer coisa quando não é real. 

Resultado de imagem para darren criss gif





















  Como sempre, o protagonista dialoga facilmente com o leitor, e a gente sente que está conversando com um velho amigo. A história não tem tantas reviravoltas, mas é uma leitura bem gostosa de fazer! A única coisa que me incomodou é que não faço idéia da idade de Cameron, pois ele cita a escola mas não dá muitos detalhes sobre. A capa é bem simples, como de costume não entrega a profundidade da história que está prestes a vir. E claro, o que não poderia faltar: Uma dose de poesia disfarçada. Abaixo, um dos meus trechos favoritos: 

  Qual é a do som de mãos aplaudindo? Por que ele parece um mar de som, como ondas quebrando em cima da gente? Por que faz a maré virar dentro de nós? Talvez seja porque é uma das coisas mais nobres que os seres humanos fazem com as mãos. Digo, os seres humanos cerram as mãos em punhos. Usam-nas para ferir uns aos outros e para roubar coisas. Quando os humanos batem palmas, é o único momento em que se unem para aplaudir outros seres humanos. 

Resultado de imagem para jessica szohr gif

Poderosa 4

Resultado de imagem para poderosa 4  Fala galere! Pra quem não sabe, a saga PODEROSA foi meu primeiro contato com a leitura! Eu comecei a ler quanto tinha por volta de uns 10 anos e me apaixonei pela trama! Hoje, com 20 anos, resolvi reler tudo pra mostrar para vocês minhas impressões sobre a história. Confiram aqui as resenhas anteriores: 

  No quarto livro da série, podemos acompanhar a história de Alice, uma senhora que vive na clínica de idosos dirigida pela Vó Nina, avó de Joana Dalva. Alice, apesar da idade, ainda brinca de bonecas, é sonhadora e alegre... até o dia de seu aniversário. Todos os anos, a alegria desaparece e uma tristeza sem tamanho toma conta. O motivo? Sua filha Isadora. Ninguém nunca soube se a garota estaria viva ou se realmente existia. 
  Com o dom de transformar todas as palavras que escreve em realidade, Joana não poderia suportar ver alguém tão triste e irá usar seu poder para tentar descobrir onde está a filha desaparecida. Como sempre, assuntos cada vez mais sérios sendo tratados pela narrativa leve e envolvente de Sérgio Klein. Sequestro, traição, assédio sexual, body-mod que deu errado... São tantas situações que uma Joana só quase não consegue dar conta!  

O mundo está nas suas mãos. Você só precisa criar uma frase para mudar o destino.

Resultado de imagem para haND WITH PEN GIF

  A separação de seus pais é abordada mais profundamente nesse volume, assim como temos mais cenas com Xandi, seu irmão caçula pentelho. Acabei me afeiçoando bem mais a ele.
  Um ponto negativo ao meu ver, que não percebi nas primeiras vezes que li, é a repetição que acontece não só todo início de livro, mas cada vez que um personagem aparece. Por exemplo, Seu Esteves é o porteiro que dorme bastante em serviço. Mas em todas as cenas ele aparece dormindo! Isso me incomoda um pouco, pois o leitor já conhece os personagens a esse ponto, e sabe quais são suas características, então não vejo motivo pra ficar relembrando. 
  O quarto livro, até agora, é o que contém mais ação! Mas a Joana realmente me irritou algumas vezes por tomar algumas ações bem precipitadas, sem pensar nas consequências (e no caso do poder dela, isso é no mínimo grave, né?). Mas, como sempre, uma leitura rápida e gostosa de se fazer. Logo logo postarei o quinto livro pra vocês! Só faltam mais 2 💔

© Viver em dois mundos - 2016 | Todos os direitos reservados| Tecnologia do Blogger.